Um altar com material vegetal na missa em Ñu Guazú

Um altar com material vegetal na missa em Ñu Guazú

Assunção (RV) – O altar no Parque Ñu Guazú, onde o Papa Francisco celebrará para milhares de pessoas no próximo domingo (12/07), última etapa de sua viagem à América Latina, terá uma particularidade: a ornamentação. De fato, o “altar de milho” escolhido para a ocasião, faz parte das tradições da Semana Santa em Tañarandy, localidade situada nas proximidades da cidade de Santo Ignácio, Província de Missiones, antiga Redução jesuítica do Paraguai.

A reprodução deste particular altar, totalmente recoberto por espigas e grãos de milho, além de coco, abóboras, sementes diversas e frutos da estação, evoca os frutos da natureza, a poucas semanas da publicação da Encíclica Laudato Si, dedicada à relação do homem com a Criação.

O projeto desta monumental estrutura vegetal com 40 metros de largura por 41 de altura, com uma cruz ao alto, foi concebida pelo artista Koki Ruiz. Confeccionada totalmente em Santo Inácio (226 km ao sul da capital), teve que ser transportada em três partes até o Parque de Ñu Guazú, cercanias de Assunção.

Nas laterais do altar estarão ícones de São Francisco de Assis e de Santo Inácio de Loyola, em homenagem às missões franciscanas e jesuítas, as primeiras a evangelizar grande parte do atual território paraguaio. As imagens foram realizadas com grãos de milho e sementes de abóbora, de girassol e de outras plantas. Cerca de 32 mil espigas de milho foram doadas por comunidades de Caaguazú, no Alto Paraná e por outras localidades da região.

As dimensões da estrutura são o dobro daquelas usadas para a Semana Santa em Tañarandy. Para a realização foram envolvidas inúmeras pessoas, entre as quais muitas crianças que puderam decorar mais de 160 mil cartuxos de coco com palavras, intenções e desenhos dedicados à visita do Pontífice.

Após a celebração eucarística, os frutos e grãos serão doados à diversas instituições que se ocupam das faixas sociais marginalizadas da região. (JE)