Podemos comungar várias vezes ao dia?

Podemos comungar várias vezes ao dia?

Há fiéis que, por diversas razões, participam de muitas missas em um só dia, como é o caso dos ministros extraordinários da Eucaristia, os sacristãos, os leitores, os acólitos e animadores de canto. Mas será que eles podem comungar em várias missas no mesmo dia?
 
Não há uma norma específica que limite o número de vezes que a pessoa pode assistir à missa em um dia, mas sim se especifica o número de vezes que se pode comungar.
 
É permitido comungar até duas vezes por dia; tal norma é estabelecida no Código de Direito Canônico para determinadas circunstâncias (recordemos que este código é o conjunto de normas jurídicas que regulam a organização da Igreja Católica de rito latino).
 
Com relação aos padres e ao número de missas que celebram, o Código diz: "Excetuados os casos em que, segundo as normas do direito, é lícito celebrar ou concelebrar a Eucaristia várias vezes no mesmo dia, não é lícito ao sacerdote celebrar mais que uma vez por dia. Se houver falta de sacerdotes, o Ordinário do lugar pode permitir que, por justa causa, os sacerdotes celebrem duas vezes ao dia, ou mesmo, se as necessidades pastorais o exigirem, três vezes nos domingos e festas de preceito" (cânon 905).
 
Portanto, normalmente e/ou em circunstâncias ordinárias (porque há exceções), os sacerdotes não podem celebrar mais de duas missas e, por conseguinte, não devem comungar mais que duas vezes ao dia também. Se isso se aplica aos padres, quanto mais aos fiéis.
 
"Quem tiver recebido a santíssima Eucaristia pode voltar a recebê-la de novo no mesmo dia, mas somente dentro da celebração eucarística em que participe, salvo o prescrito no cân. 921, § 2 (que diz: 'Mesmo que já tenham comungado nesse dia, aos que se vêem em perigo de vida, recomenda-se que comunguem de novo')" (cânon 917).
 
A Santa Sé explicou que "voltar a recebê-la de novo" significa "pela segunda vez", mas não mais que isso. O texto em latim utiliza a palavra "iterum", que significa, em sentido estrito, "uma segunda vez, outra vez, de novo".
 
O Catecismo da Igreja Católica (1338, nota 224) menciona que os fiéis, no mesmo dia, podem receber a Santíssima Eucaristia somente uma segunda vez.
 
No Código, permite-se a possibilidade de comungar duas vezes ao dia sempre que o fiel participar de duas missas.
 
Então, a Igreja afirma a impossibilidade de receber a Sagrada Comunhão mais do que duas vezes ao dia. Por quê?
 
O motivo é o respeito e a veneração à Eucaristia, cuja recepção não deve ser banalizada.
 
Mas precisamos levar em consideração que ninguém se torna mais cristão ou mais santo pelo simples fato de comungar mais de uma vez ao dia.
 
Mais do que comungar várias vezes ao dia, o que podemos recordar é sempre estar em graça de Deus, ter uma boa disposição (a preparação) e fazer a posterior ação de graças, para que a comunhão eucarística dê seus frutos.
 
Mesmo comungando apenas uma vez por semana, participando da missa inteira todos os domingos e festas de preceito, a pessoa pode crescer e/ou amadurecer na vida cristã, se o fizer como convém.
 
Se o fiel puder participar da Eucaristia todos os dias, como a Igreja aconselha, fará muito bem, mas uma boa comunhão semanal, bem recebida, vale mais que receber a comunhão todos os dias de maneira rotineira e superficial.