Papa: Não ceder ao orgulho que alimenta violência e guerras

Papa: Não ceder ao orgulho que alimenta violência e guerras

Cidade do Vaticano (RV) - O Papa Francisco presidiu neste Domingo de Páscoa (05/04), no adro da Basílica de São Pedro, a solene celebração Eucarística da Ressurreição do Senhor. 

Não obstante a chuva, foi grande a participação de fiéis na missa pascal celebrada pelo pontífice.

Após a celebração, Francisco se dirigiu ao balcão central da Basílica Vaticana de onde dirigiu aos milhares de fiéis, presentes na Praça São Pedro, suas felicitações de Santa Páscoa e concedeu a Bênção “Urbi et Orbi” à Cidade de Roma e ao mundo inteiro.

“O amor venceu o ódio, a vida venceu a morte, a luz afugentou as trevas! Com a sua morte e ressurreição, Jesus indica a todos o caminho da vida e da felicidade: este caminho é a humildade, que inclui a humilhação. Para entrar no mistério, é preciso «inclinar-se», abaixar-se. Somente quem se abaixa compreende a glorificação de Jesus e pode segui-Lo na sua estrada”, disse Francisco na Mensagem “Urbi et Orbi” proferida neste Domingo de Páscoa.

O Papa disse ainda que “do Senhor ressuscitado imploramos a graça de não cedermos ao orgulho que alimenta a violência e as guerras, mas termos a coragem humilde do perdão e da paz”. 

A seguir, Francisco pediu a paz para as nações que estão em conflito: 

“Pedimos paz, antes de tudo, para a Síria e o Iraque, para que cesse o fragor das armas e se restabeleça a boa convivência entre os diferentes grupos que compõem estes amados países. Que a comunidade internacional não permaneça inerte perante a imensa tragédia humanitária no interior destes países e o drama dos numerosos refugiados.”

Pediu a paz para os habitantes da Terra Santa, Líbia, Iêmen, Ucrânia e confiou ao Senhor o acordo alcançado nesses dias em Lausanne, a fim de que seja um passo definitivo para um mundo mais seguro e fraterno.

“Do Senhor Ressuscitado imploramos o dom da paz para a Nigéria, o Sudão do Sul e as várias regiões do Sudão e da República Democrática do Congo. De todas as pessoas de boa vontade se eleve incessante oração por aqueles que perderam a vida – penso de modo particular aos jovens mortos na quinta-feira passada numa Universidade de Garissa, no Quênia -, por quantos foram raptados, por quem teve de abandonar a própria casa e os seus entes queridos.”

Francisco pediu paz e liberdade para todos aqueles que estão sujeitos a formas novas e antigas de escravidão, recordou as vítimas dos traficantes de droga e pediu paz para este mundo sujeito aos traficantes de armas. O Santo Padre recordou ainda os marginalizados, os encarcerados, os pobres, migrantes, os doentes e atribulados, as crianças, especialmente as vítimas de violência; e os que estão hoje de luto. 

No final da mensagem o pontífice desejou a todos uma Feliz Páscoa. “Levem para suas casas e às pessoas que encontrarem o alegre anúncio de que o Senhor da vida ressuscitou, trazendo consigo amor, justiça, respeito e perdão!”, concluiu. (MJ)