Os vídeos com as Intenções de Oração do Papa são um sucesso

Os vídeos com as Intenções de Oração do Papa são um sucesso

Para que seja respeitada a identidade dos povos indígenas. Esta é a intenção de oração do Papa Francisco para o mês de julho. Intenção que, como ocorre mensalmente desde janeiro passado, será acompanhada por uma videomensagem do Santo Padre, a ser publicada na quarta-feira, 6 de julho. A este respeito a Rádio Vaticano entrevistou o Padre jesuíta Frédéric Fornos, Diretor internacional do Apostolado da Oração, promotor da “Videomensagem do Papa” e do App “Click to Pray”:

“Estamos muito surpresos e contentes em ver que estas vídeo-mensagens não são apreciadas somente pelos tantos católicos no mundo, mas também por muitas pessoas que não são próximas à Igreja Católica e que se sentem tocadas na sua vida pela palavra do Papa, pelo seu apelo em rezar pelos grandes desafios da humanidade. Sabemos que, depois de seis meses, somente por meio das nossas redes sociais vaticanas, quase 10 milhões de pessoas viram o vídeo do Papa! Por exemplo, com o último vídeo sobre a solidariedade, atingimos 951 mil pessoas. Eu viajo muito e agora estou, por exemplo, nos Estados Unidos. Aqui, e em muitas partes do mundo onde vou, as pessoas – sacerdotes, religiosos e leigos – me dizem como estes vídeos muito simples ajudam a rezar e a estar próximo às preocupações e à visão da Igreja”.

RV: Os vídeos do Papa são muito compartilhados nas redes sociais. Os jovens estão apreciando esta nova maneira do Papa comunicar?

“Sim, absolutamente! Nós, a Rede mundial de Oração do Papa, temos um ramo juvenil – o Movimento Eucarístico Jovem – que compreende mais de um milhão de jovens, e muitos deles compartilham os vídeos. Nestes dias, por exemplo, me encontro na Convenção Nacional do Movimento Eucarístico Jovem, nos Estados Unidos, e muitos jovens me falaram do vídeo do Papa e de como este seja um modo para se estar próximos ao Santo Padre e à missão da Igreja; um modo para sentir mais em profundidade quais são as preocupações da Igreja, para rezar e desejar um envolvimento. Dizem que, entrar em relação com o Papa por meio deste vídeo, ajuda muito a “despertar-se””.

RV: Os vídeos são ricos de imagens e de história e não existe somente a voz e a imagem do Papa Francisco. Por que esta escolha? As pessoas apreciam este modo de contar e não somente ouvir as intenções de oração de Francisco?

“Me parecia ser muito importante que se pudesse ver, sentir mover o coração, para ter realmente o desejo de rezar, de envolver-se neste desafio da humanidade. O Papa Francisco fala e é bonito ouvi-lo, ouvir as suas palavras, porque cria conosco uma relação pessoal. Criar, porém um pequeno filme sobre estas intenções, para narrar, ajuda muito mais a envolver o nosso coração e a desejar realmente rezar. No vídeo do Papa do mês de junho, por exemplo, tem este homem, um sem-teto, pela rua, e a sua história nos ajuda a ver a humanidade desta pessoa e nos ajuda a estarmos mais atentos, a abrir os meus olhos e o meu coração aos homens e às mulheres que posso encontrar no meu caminho, na minha cidade”.

RV: Outra iniciativa do Apostolado de oração, lançada nestes meses, é o aplicativo “Click to pray”, para rezar com o Papa. Quais resultados estão sendo obtidos?

“O Aplicativo é mais uma outra para “despertar” e para nos recordar que em uma vida, mesmo muito agitada, com tantas coisas para se fazer, a oração é essencial. “Click to pray” nos ajuda três vezes ao dia a recordar, mesmo se por um pequeno momento, o essencial: a relação com o Senhor, a abertura do coração ao mundo de hoje. As pessoas nos dizem que ajuda muito, especialmente os jovens. Agora passaram quatro meses desde o lançamento desta plataforma de oração do Papa em todas as redes sociais – Facebook, Twitter, Youtube – e atualmente temos 440 mil pessoas que usam “Click to pray” em espanhol, inglês, francês e português. Teremos o italiano e outras línguas no próximo ano. A agência com a qual trabalhamos – La Machi – nos disse que as pessoas utilizam “Click to pray”, cada vez que o abrem, por cerca de 4 minutos e 50 segundos. É muito tempo. Quer dizer que as pessoas tomam tempo para meditar, para rezar e quer dizer que isto ajuda. Normalmente, de fato, as pessoas quando usam um aplicativo, o fazem mais velozmente. Aqui, ao contrário, as pessoas tomam tempo para entrar em silêncio e poder realmente abrir o coração e rezar por estas intenções do Papa. Estamos, então, muito contentes por isto. Em junho lançamos o “Click to pray” em francês, em Paris. E agora estou nos Estados Unidos, porque em Nova Iorque iremos apresentar a versão em inglês. Em 14 de julho estarei em São Paulo, no Brasil, para ajudar a fazer conhecer este aplicativo oficial de oração do Papa Francisco e ajudar a rezar pelas grandes intenções que nos dá a cada mês”.

Por Rádio Vaticano