O convite do Papa: "Deixem-se transfigurar pelo Amor"

O convite do Papa: "Deixem-se transfigurar pelo Amor"

Cidade do Vaticano (RV) – Neste segundo domingo de Quaresma, em que a liturgia recorda a Transfiguração de Cristo, o Papa - antes de rezar a oração do Angelus com os fiéis - fez uma recomendação: “Despojar-se dos bens mundanos para conquistar uma autêntica liberdade interior”.

A Praça São Pedro estava tomada por dezenas de milhares de pessoas que foram ouvir as palavras do Pontífice neste domingo (01/03) de sol e temperatura amena em Roma.  

O despojamento

“Escutem Jesus, é Ele o Salvador, sigam-no!” exortou Francisco, recordando que “ouvir Cristo comporta assumir a lógica de seu mistério pascal, colocar-se em caminho com Ele para fazer da própria existência um dom de amor aos outros, em dócil obediência à vontade de Deus, com atitude de despojamento das coisas mundanas e de liberdade interior”.

Em outras palavras, “é preciso estar prontos a perder a própria vida para que se realize o plano divino da redenção de todos os homens”. Recordando o trecho do Evangelho com o episódio da Transfiguração de Jesus no monte Tabor, o Papa clamou:

“Subamos nós também ao monte da Transfiguração e paremos para contemplar o rosto de Jesus, para colher a mensagem e traduzi-la em nossa vida, para que nós também possamos ser transfigurados pelo Amor”.

Interação direta com os fiéis

E depois de interrogar os fiéis sobre o significado do evento da Transfiguração, perguntando “Vocês acreditam mesmo que o Amor pode transfigurar tudo?”, o Papa lembrou que “as multidões abandonaram Jesus e não acreditaram Nele, assim como os próprios Apóstolos”.  

O Pontífice concluiu garantindo que “Jesus nos conduz sempre à felicidade. Ele não nos engana: nos prometeu a felicidade e a dará, se seguirmos em seu caminho”. 

(CM)