ESPIRITUALIDADE MiSSIONÁRIA

ESPIRITUALIDADE MiSSIONÁRIA


Hoje fala-se muito em espiritualidade e podemos notar que, numa

sociedade materialista, há uma grande busca de espiritualidade, um

verdadeiro movimento universal que perpassa as culturas, as raças e as

classes sociais.

É a espiritualidade dos que se dão as mãos para salvar a vida

continuamente ameaçada pelo barulho ensurdecedor e pela sujeira

produzida pelo mundo secularizado e consumista.

Contudo, deve ficar bem claro que a espiritualidade, ou a experiência de

Deus não se baseia apenas nos sentimentos, mas, e sobretudo, na nossa

adesão corajosa ao projeto de Deus apresentado pelo Evangelho.

Jesus veio para nos ensinar-nos o caminho, nos deu liberdade de ação e

exige nossa resposta. Somente o nosso sim pode nos transformar por

dentro e tornar-nos “transparência de Deus” segundo a sensibilidade de

cada um.

Trata-se de reviver em nós a experiência dos Apóstolos. João chega a

escrever em sua Iª Carta: “Aquilo que existia desde o princípio, o que

ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e que as

nossas mãos apalparam..., nós agora o anunciamos para que vocês

estejam em comunhão conosco. E nossa comunhão é com o Pai e com o

seu filho Jesus Cristo. Essas coisas, escrevemos para vocês a fim de que

vossa alegria seja completa”(1Jo 1, 1-4)

É fácil então imaginar o que sentia São Paulo quando afirmava: “Eu vivo,

mas já não sou eu, é cristo que vive em mim”¨(Gl 2,20)

É certo também que a verdadeira experiência do amor de Deus leva-nos

necessariamente ao amor para com os irmãos. Quem separa os dois

amores é qualificado de mentiroso pelo evangelista são João.

O chão da espiritualidade é sempre a sociedade na qual vivemos e a Igreja

a que servimos, às vezes cheia de conflitos, de cruzes.

“Neste sentido, Puebla (797) exorta: Que o leigo não fuja das realidades

temporais para buscar a Deus, e, sim continue presente e ativo no meio

delas e encontre ali o seu Senhor”.

A espiritualidade missionária é a força que anima o engajamento, é a

mística de todo compromisso. é a alma que anima a ação.

Uma missionária da África afirma: “Uma coisa só é necessária: deixemo-

nos invadir pelo amor de Cristo e tornemo-nos pobres ao ponto de

acolher e deixar passar este amor para que seja fonte de vida e de

felicidade para todos”.

PE. Paulo De Coppi - PIME