Sociedade se mobiliza para ajudar refugiados em São Paulo

02/11/2015 23:09

A Cáritas Brasileira e a Pastoral da Mobilidade da Pessoa Humana da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) têm promovido ações junto à Igreja e às comunidades, para ajudar refugiados e imigrantes que chegam ao Brasil após os conflitos e as perseguições que têm sofrido.

Além da Igreja, a sociedade também tem ajudado esses refugiados e imigrantes por meio de doação de alimentos, vestuários e oportunidades de emprego.

A moradora da cidade de Barueri, em São Paulo, Christina Tsapatsis (na foto, a 4ª da direita para esquerda), juntamente com sua filha Daphny Tsapatsis, viram, na mídia social (Facebook), um evento que estava acontecendo em São Paulo para a arrecadação de doações, as quais seriam entregues aos refugiados que estão na cidade. Christina começou uma campanha, no seu bairrro, para arrecadar doações, mas sua ação ganhou proporções entres seus vizinhos e também os amigos de outras localidades de São Paulo.

“Com a proporção tomada pela campanha, surgiu a preocupação de onde entregar doações. Começamos uma pesquisa na internet e ligamos para diversos locais que informavam sobre o recebimento de doações. Confesso que sempre fui muito desconfiada, por isso queria entregar num local em que, realmente, fizessem chegar as doações às mãos dos refugiados”, contou.

Nessa busca de encontrar alguém para entregar as doações, Christina encontrou, no Facebook, uma refugiada da Síria, Marah Khamis, que mora em Guarulhos (SP) e auxilia cerca de 40 famílias refugiadas.

“Encontrei a Marah no Facebook e liguei para ela com as mesmas dúvidas e perguntas. Simpatizei-me de cara com tudo o que ela me contou e a escolhi para receber as doações arrecadadas. Depois de conhecê-la pessoalmente, ouvir seus relatos e a história de sua vida, o carinho só aumentou”, disse Christina.

De acordo com Christina, até o momento já foram arrecadados cerca de 500 quilos de mantimentos e produtos de higiene pessoal e mais de 50 caixas grandes com roupas, calçados, eletrodomésticos e colchões. Após a primeira entrega, ela continua jutamente com outras pessoas aceitando doações por meio de uma página no Facebook: “Ajuda Humanitária aos Refugiados Sírios – Barueri”.

“A entrega nos primeiros 15 dias foi uma loucura! Na página do evento, pedimos voluntários para a entrega e usamos 10 carros lotados. A partir daí, nas entregas semanais, as vezes dois ou três carros são suficientes”, explicou.

Para Christina, o contato com essas pessoas é uma lição de vida, porque elas têm uma história de vida sofrida e marcada pela dor de ter deixado tudo para trás em busca da oportunidade de viver tranquilamente.

“Gratificante, uma lição de vida, coragem e perseverança. Apesar de todas as coisas pelas quais passaram, eles são otimistas e dispostos a recomeçar do zero”, afirmou Christina.

Por Canção Nova