Papa Francisco: o reformador

20/09/2016 00:31


“Prefiro uma Igreja acidentada, enlameada por ter saído pelas estradas, a

uma Igreja enferma pelo fechamento e a comunidade de se agarrar às

próprias seguranças. Não quero uma Igreja preocupada com ser o centro,

e que acaba presa em um emaranhado de obsessões e procedimentos” (EG

49)

“O urgente desafio de proteger a casa comum inclui a preocupação de

unir toda a família humana na busca de um desenvolvimento sustentável e

integral” (Laudato Si 13)

Nestas palavras de Papa Francisco está a grande chamada e convite de

papa Francisco aos católicos, aos cristãos e a todos os homens de boa

vontade para se unirem e tirarem a Igreja de sua autoreferencialidade e a

colocarem em outros epicentros: o coração do Evangelho, o Reino e o

coração do mundo, onde se encontra a vida humana situada no conjunto

do sistema terra. (João Décio Passos)

A Igreja em saída se renova pela força do Evangelho e pela acolhida do

dom da vida a ser preservado e promovido sobretudo àqueles mais

necessitados: os pobres e os sofredores.

Desafio -Com isso Francisco lança desafios gigantescos para si mesmo e

para todos os membros da comunidade eclesial, tanto aqueles que

pretendem conservar as estruturas eclesiais da Igreja em nome da

tradição e até em nome de Deus, quanto aqueles que defendem a

conservação do sistema de domínio do planeta em nome do regime

capitalista, rejeitam isso como algo utópico e irresponsável.

Bem diferente ‘é a atitude dos renovadores e dos esperançosos que

acolhem com euforia e querem mudanças rápidas na Igreja e nas ações

econômicas que regem o mundo atual.

A programática está lançada como grito de alerta e como proposta de

ações urgentes e concretas. Não há o que esperar para reformar a Igreja

com o Evangelho do serviço e o mundo com o Evangelho da criação.

Renovações urgentes Papa Francisco permanece com seu carisma

mantendo essa chama acesa com paciência, transparência e coragem. A

Igreja envelhecida e o mundo depredado continuam gemendo por

mudanças urgentes...Trata-se de renovações urgentes, de posturas, de

dinâmicas e de estruturas instituídas.

A renovação é, antes de tudo, mudança de rumo dos católicos e da

humanidade, conversão eclesial e conversão ecológica.

Não há outro mundo no qual a Igreja possa star presente e no qual deva

inserir-se de modo consciente, crítico e criativo.

`É neste mundo concreto em que todos vivem, com suas culturas, que a

Igreja de Jesus Cristo deve viver sua missão sem subterfúgios.

A visão da Igreja em saída está diretamente assentada no fundamento

evangélico, no coração do “Evangelho” como costuma dizer papa

Francisco.

O que foge dessa fonte original pode se constituir empecilho para a

missão da Igreja e deverá ser reformado.

Pe Paulo De Coppi - PIME