Obama elogia Papa e seu exemplo em favor dos pobres

23/09/2015 23:25

A cerimônia de boas-vindas ao Papa Francisco nos Estados Unidos aconteceu nesta quarta-feira, 23, na Casa Branca, em Washington, DC, às 9h15, horário local. O Santo Padre chegou de carro para o seu primeiro compromisso oficial no país. Francisco foi recebido pelo presidente Barack Obama e pela primeira-dama Michelle em frente ao Pórtico Sul da Casa Branca. Cerca de 20 mil convidados participaram da cerimônia. Francisco e Obama já haviam se encontrado na tarde desta terça-feira, 22, no aeroporto, na chegada do Pontífice ao país.

Depois de honras militares e da execução dos hinos do Vaticano e dos Estados Unidos, o presidente Obama foi o primeiro a discursar. O presidente praticamente traçou um perfil da figura do Papa Francisco e do que ele representa não só para os católicos mas para o mundo. De maneira descontraída Obama disse que o jardim da Casa Branca não é sempre lotado daquela maneira, e que isso representa os milhares de católicos dos Estados Unidos.

Discurso do presidente Obama

Obama destacou os trabalhos da Igreja em favor dos mais pobres e necessitados, e exaltou a humildade, simplicidade e gentileza das palavras de Francisco. “Vemos [no senhor] um ensinamento vivo do exemplo de Jesus, não por palavras, mas por ações.”

Em seu discurso o presidente acrescentou que Francisco lembra que a mensagem mais poderosa de Deus é a misericórdia. “Tratar estranhos em empatia e coração aberto”.

A ajuda de Francisco no processo das relações entre Estados Unidos e Cuba foi mencionada por Obama que se comprometeu em manter boas relações com o país.

Ao final do discurso o presidente afirmou que as palavras e desejos do Papa são um exemplo.

Discurso do Papa

Após as palavras do presidente, o Papa Francisco fez um breve discurso em inglês, em que se apresentou como filho de emigrantes. “Como filho duma família de emigrantes, sinto-me feliz por ser hóspede nesta nação, que foi construída em grande parte por famílias semelhantes. “

Francisco disse que os católicos americanos estão comprometidos na construção duma sociedade tolerante e inclusiva, na defesa dos direitos dos indivíduos e das comunidades, e na rejeição de qualquer forma de discriminação injusta.

“Juntamente com muitas outras pessoas de boa vontade desta grande democracia, eles esperam que os esforços por construir uma sociedade justa e sabiamente ordenada respeitem as suas preocupações mais profundas e os seus direitos inerentes à liberdade religiosa. Esta liberdade permanece como uma das conquistas mais valiosas da América.”

O pontífice destacou a iniciativa de Obama para redução da poluição do ar e disse que diante da urgência desta questão, não se pode deixar para a geração futura a responsabilidade de encontrar uma solução. Francisco citou as palavras do pastor protestante e líder dos direitos dos negros nos Estados Unidos, Martin Luther King: “Podemos dizer que estivemos em falta quanto a alguns compromissos e, agora, chegou o momento de os honrar.”

Ao final do discurso o Papa recordou os esforços feitos recentemente para reconciliar relações que haviam sido rompidas e para a abertura de novas vias de cooperação dentro da família humana. “Almejo que todos os homens e mulheres de boa vontade desta grande e próspera nação apoiem os esforços da comunidade internacional para proteger os mais vulneráveis no nosso mundo e promover modelos integrais e inclusivos de desenvolvimento.”

Após a cerimônia de boas-vindas, Francisco fez uma visita de cortesia ao Presidente Obama. Os dois líderes tiveram uma reunião privada, ocasião em que aconteceu troca de presentes e apresentação dos familiares do presidente e do vice-presidente ao pontífice.

Após a visita ao presidente Obama, Francisco seguiu para um Encontro com os Bispos dos Estados Unidos na Catedral de São Mateus.

Por Canção Nova