Brasil precisa acolher migrantes e refugiados com portas abertas

20/08/2015 23:18

O secretário geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e Bispo auxiliar de Brasília (DF), Dom Leonardo Steiner, apontou que há ausência de políticas públicas voltadas aos migrantes e refugiados no Brasil em uma reunião sobre a realidade dessas populações, ocorrida na sede da entidade, no dia 14. O país é destino comum para haitianos que fogem da miséria e sofre com o êxodo de cidadãos de cidades mais pobres que migram para as capitais.

Participaram do encontro o Secretário Nacional de Justiça e Presidente do Comitê Nacional para Refugiados (Conare), Beto Vasconcelos, a diretora do Instituto Migração e Direitos Humanos (IMDH), Irmã Rosita Milesi, e a secretária executiva do Setor Mobilidade Humana da CNBB, Irmã Claudine Scapini.

Para Dom Steiner, falta tratamento equitativo e justo, em favor dos mais necessitados e em situação de vulnerabilidade. “É uma questão essencial para tratarmos com dignidade e no devido respeito à condição de seres humanos, criados à imagem de Deus, como todos os seres humanos”, afirmou o Secretário-Geral da CNBB ao site da Conferência.

Dentre os temas discutidos, esteve também a necessidade de ações e iniciativas de acolhimento, e programas para favorecer a inclusão de imigrantes na sociedade. Foram sugeridas pelos representantes do Conare e do IMDH, a promoção de campanhas de sensibilização e compreensão do fenômeno migratório, com o apoio da CNBB.

Os participantes ainda debateram a aprovação de uma nova lei para a migração, que tutele ainda mais os migrantes, cuja presença aumentou no Brasil.

Um dos grupos mais numerosos de migrantes no Brasil é o proveniente do Haiti, já que desde o terremoto de 2010 um grande número de haitianos procurou refúgio no país. Segundo a Agência Fides, as últimas estimativas apontam que entre 2010 e agosto de 2014 chegaram ao país de 35 a 40 mil haitianos. A maior parte deles vive em condições de pobreza.

Na reunião, Dom Leonardo Steiner assinalou a presença da Igreja no acompanhamento e assistência aos migrantes e refugiados. Ele declarou que a CNBB continuará colaborando com as diversas iniciativas da sociedade em defesa dos direitos dos menos favorecidos.

Para mais informação sobre ajuda aos migrantes, itinerantes e refugiados: http://www.migrante.org.br/

Por ACI