Bispos do Brasil ao Papa: Misericórdia ilumina a Assembleia

20/04/2015 01:11

Aparecida (RV) – Os bispos do Brasil quiseram manifestar ao Papa Francisco a gratidão e satisfação da Igreja brasileira e de todos os fieis pela decisão de proclamar o Ano Santo da Misericórdia. Em carta dirigida ao Papa, a Presidência da CNBB afirma inspirar-se na Bula Misericordiae Vultus nos trabalhos do encontro que está reunindo em Aparecida mais de 350 bispos na ativa e eméritos. Abaixo, a integra da carta enviada ao Vaticano.

Santo Padre,

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB, está reunida em sua 53ª assembleia geral anual, em Aparecida, sob as bênçãos e a proteção da Rainha e Padroeira do Brasil, de 15 a 24 de abril. Nesta ocasião, temos a alegria de manifestar nossa comunhão com o sucessor de Pedro.

Como Vossa Santidade pode imaginar, pois muitas vezes também  participou de assembleias semelhantes,  a pauta de nossos trabalhos é extensa e desafiadora. Merecerão uma atenção especial tanto as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil, que orientarão nossa ação pastoral nos próximos quatro anos, quanto as eleições para os quadros dirigentes da CNBB. Nesta ocasião elegeremos, também, nossos representantes na próxima Assembleia Geral do Sínodo dos Bispos, para a qual estamos nos preparando em nossas Dioceses.

Iniciamos esta nossa Assembleia anual tendo diante de nós a Bula Misericordiae Vultus, com a qual Vossa Santidade proclamou o Jubileu Extraordinário da Misericórdia. Queremos manifestar-lhe nossa alegria com a proclamação desse Jubileu. Assumiremos este Ano Santo Extraordinário em nossas Dioceses e antevemos o júbilo com que nosso povo viverá a renovada experiência da misericórdia de Deus. Tanto a Bula como a Exortação Apostólica sobre o anúncio do Evangelho no mundo atual - Evangelii gaudium - iluminarão nossas Diretrizes. Nosso agradecimento, Santo Padre, por esses dois presentes especiais. 

Para nós, suas palavras são  um grande incentivo para nos aproximarmos mais de nosso povo, prioritariamente daquelas pessoas que se encontram nas periferias geográficas e existenciais. Para nossos fieis e as pessoas de boa vontade, suas palavras são a expressão de uma certeza: Deus ama cada pessoa; Ele não se cansa de nos amar, de nos acolher e de nos perdoar. Santo Padre, saiba que são também nossas suas preocupações em relação à evangelização e preservação da Amazônia.

Tendo diante de nós o imenso Brasil, que nasceu sob o sinal da Santa Cruz, pedimos sua bênção para o nosso bom povo e, particularmente, para nossas crianças, jovens, idosos e doentes. De nossa parte, queremos assegurar-lhe nossa oração pelo seu árduo e importante ministério petrino - oração que se torna mais intensa nestes dias nos quais, em nome do Senhor Jesus Cristo, nos reunimos no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida. Deus o ilumine, conforte e guarde!

Cardeal Raymundo Damasceno Assis, Arcebispo de Aparecida, Presidente da CNBB

Dom José Belisário da Silva, OFM, Arcebispo de São Luís do Maranhão, Vice Presidente da CNBB

Dom Leonardo Ulrich Steiner, Bispo Auxiliar de Brasília, Secretário Geral da CNBB