A UNIÃO FAZ A FORÇA!

29/04/2016 19:01



Uma excelente forma de organização é a que existe na colmeia, onde cada uma das

abelhas operárias faz a coleta do pólen e produz o mel. Pode-se dizer que este é um

dos mais perfeitos exemplos de cooperação. A finalidade, naturalmente, é a

sobrevivência da espécie, mas isso beneficia também a outros seres.

Surgiu também o cooperativismo, cujo objetivo, desde o início, era construir uma

alternativa política e econômica ao capitalismo, eliminando o patrão e o intermediário,

e tornando o próprio trabalhador proprietário de seus instrumentos de trabalho e,

principalmente, dos lucros de seu desempenho.

Os valores do cooperativismo tem por fundamento o processo social da

cooperação e do auxílio mútuo segundo o qual aqueles que se encontram na mesma

situação desvantajosa de competição, conseguem, pela soma dos esforços, garantir a

sobrevivência. Quem criou esta nova forma de gerar o sustento das famílias foi um

discípulo de Robert Owen, grande teórico do cooperativismo, em 1843, com a

fundação do armazém comunitário que envolveu inicialmente 27 homens e uma

mulher.

Num congresso, realizado em Manchester em 1995, redefiniu-se os valores

principais do cooperativismo: Ajuda mútua, responsabilidade, democracia, igualdade,

equidade e solidariedade.

E os valores que os aderentes deviampráticar eram os

seguintes:

1-Adesão voluntária e livre;

2-Gestão democrática pelos membros;

3 –Participação econômica dos membros;

4 - Autonomia e independência;

5 - Formação constante de seus membros;

6 – Inter - cooperação entre as cooperativas e

7 – Interesse pelo desenvolvimento da comunidade.

Por que uma cooperativa?

Por ser uma forma de ação que procura fundar-se em valores éticos e educativos,

centrada na convicção de que cada pessoa é um ser livre, soberano e capaz de realizar

seu desenvolvimento e da própria comunidade.

Por isso, e não só por isso, chegou a hora de os brasileiros, do mais culto ao mais

humilde, não ficarem esperando do governo soluções muitas vezes inviáveis, mas

assumirem suas responsabilidades se unindo em pequenas e grandes cooperativas,

para, juntos, darem sua contribuição generosa ao desenvolvimento deste nosso pais

tão abençoado por Deus que lhe concedeu enormes potencialidades.

PARA REFLETIR

1 – Refletir. Rm 12, 3-8 – Iª Cor 12, 12-30

2 – Quais são as exigência do cooperativismo?

3 –Como está o espírito cooperativista em sua sociedade e na sua comunidade

paroquial?