A PAZ AMEAÇADA

15/03/2017 10:25



Iniciamos o terceiro milênio com a esperança de que estava ao

nosso alcance a chance de construir um mundo pacífico e

solidário.

No entanto, com a derrubada das Torres Gêmeas de Nova

York, no dia 11 de setembro de 2001, o mundo colocou

novamente um grande ponto de interrogação sobre a

possibilidade de alcançar a paz mundial.

De fato, a partir daquela data, estamos assistindo a um

aumento assustador de conflitos, atentados e violências de

toda espécie. Mas, a guerra não é a única a contrariar a paz

pois, no mundo, a cada 07 segundos morre uma criança de

fome, e, a cada dia, milhares de pessoas morrem por causa

dela!

Em nível nacional, não há quem não fique amedrontado

diante da onda de assaltos, homicídios e ações que contrariam

totalmente o respeito à dignidade humana. Herik, um jovem

de Salvador(BA) testemunha: “ Para evitar a violência, não saio

durante a noite e, quando vou a alguma festa, evito de sair

sozinho. É melhor prevenir do que remediar”.

Contudo, para o jovem Gilberto, não menos comum é

pensarmos na violência institucionalizada, isto é, a violência

cruel dos salários de fome, da falta de moradia, do descaso pela

educação, do preconceito racial, etc. São violências surdas que

oprimem milhões de pessoas “sem vez e sem voz”.

Dizia Hélio Bicudo: “A violência, hoje, é uma coisa banal, um

fato comum. Nós precisamos começar a nos indignar contra a

violência, por que hoje as pessoas se acomodaram nisso”.

PARA REFLETIR E AGIR

1 - Quais causas podemos apontar como ameaças à paz?

2 - A violência está presente em sua cidade? De que forma?

3 – Que tal assumirmos o compromisso de investirmos mais na

partilha, deixando de lado o individualismo e o egoísmo, pondo

gestos concretos de partilha em nossa comunidade?

NB – Se nos enviar suas reflexões, teremos a alegria de

comentá-las em nossos programas WEB